Belchior

1

Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes, o Belchior, nasceu na cidade cearense de Sobral (cidade com grande cultura europeia), filho de um bodegueiro e 13° entre 23 irmãos.

Representava parte de uma típica família nordestina e em sua vida passou de cantor consagrado a ídolo recluso. Cresceu acompanhando e vivenciando a música e assim passou por diversas histórias relevantes para seu crescimento artístico. Belchior morreu em sua casa, na cidade de Santa Cruz do Sul por causas naturais e seu corpo foi levado para o Ceará, onde ocorreu o sepultamento em Sobral, sua cidade natal. Segundo a família Belchior não tinha paradeiro certo desde 2008 e após se separar da mulher com quem viveu 35 anos ele resolve se distanciar da carreira e dos antigos amigos. Seu sumiço virou uma espécie de lenda e inclusive virou tema de campanhas e alimentou teorias.

Belchior; Cantor

“Eu não estou interessado em nenhuma teoria,play it cool, Baby”
Doze Jovens Coloridos, dois Policiais
Cumprindo o seu (maldito) duro dever e defendendo o seu amor e nossa vida
Cumprindo o seu (maldito) duro dever e defendendo o seu amor e nossa vida
Mas eu não estou interessado em nenhuma teoria, em nenhuma fantasia, nem no algo mais
Longe o profeta do terror que a laranja mecânica anuncia
Amar e mudar as coisas me interessa mais
Amar e mudar as coisas, amar e mudar as coisas me interessa mais
Um preto, um pobre, um estudante, uma mulher sozinha
Blue jeans e motocicletas, pessoas cinzas normais
Garotas dentro da noite, revólver: cheira cachorro
Os humilhados do parque com os seus jornais
Carneiros, mesa, trabalho, meu corpo que cai do oitavo andar
E a solidão das pessoas dessas capitais
A violência da noite, o movimento do tráfego
Um rapaz delicado e alegre que canta e requebra, é demais
Cravos, espinhas no rosto, Rock, Hot Dog, “play it cool, Baby”
Doze Jovens Coloridos, dois Policiais
Cumprindo o seu (maldito)duro dever e defendendo o seu amor e nossa vida
Cumprindo o seu (maldito)duro dever e defendendo o seu amor e nossa vida
Mas eu não estou interessado em nenhuma teoria,
Em nenhuma fantasia, nem no algo mais
Longe o profeta do terror que a laranja mecânica anuncia
Amar e mudar as coisas me interessa mais
Amar e mudar as coisas, amar e mudar as coisas me interessa mais.”

3

O LP vendeu 30 mil cópias em menos de 3 semanas de lançado. Um cantor torto que buscava a carne do ouvinte e buscava não ferir ninguém com seu timbre agreste.

Um compositor refinado, com belas referências poéticas (Fernando Pessoa, Arthur Rimbaud, T.S. Eliot e João Cabral de Mello Neto), que não escapava às comparações com o americano Bob Dylan. Tudo por conta do timbre anasalado e longos versos espremidos nas canções, às vezes de forma falada. Depois de um LP lançado em 1974, sem repercussão, e do sucesso “Paralelas” (gravada por Erasmo Carlos e Vanusa), Bechior foi para a gravadora Philips pelas mãos de Marco Mazzola, que produziria “Alucinação”.

O último disco com canções inéditas de Belchior foi Baihuno, de 1993, no qual a pesquisadora da USP Josely Teixeira Carlos (autora de teses sobre o artista) afirma que ele fez “um sumário das ideias que apresentou ao longo da carreira, de rapaz latino-americano ‘baiano’ (uma referência a como os nordestinos são chamados em São Paulo) e ‘huno’ (o povo bárbaro da Ásia Central que migrou para a Europa nos séculos IV e V em busca de novos pastos)”.

Depois de um último disco Belchior foi se retirando de cena e fez sua última aparição pública em um show de Tom Zé em Brasília. Belchior morreu de rompimento da Aorta em Santa Cruz, Rio Grane do Sul, onde ele procurou refúgio diante da frustração de uma carreira que viveu um ápice ainda nos anos 70 e que depois não atingiu o mesmo patamar de sucesso. O corpo foi velado e enterrado em Fortaleza, Ceará.

Após a sua morte as músicas de Belchior ‘bombaram’ na internet e o artista voltou a emplacar músicas entre as mais ouvidas. Entre as músicas constam: ‘Apenas um Rapaz Latino-Americano’ e ‘Como Nossos Pais’.

Há quem diga que um dos principais motivos para o sumiço de Belchior nos últimos dez anos de vida foi a desilusão com a desvalorização de seu trabalho e de outros artistas da Música Popular Brasileira, ao mesmo tempo em que movimentos culturais populares como a música sertaneja e o pagode ganhavam força.

No período de 65 a 70 participou de festivais de música no nordeste e ao chegar no Rio de Janeiro, em 71, ganhou o primeiro lugar no festival de MPB com música de sua autoria, Na hora do almoço, e com a mesma iniciou sua carreira como cantor a partir do compacto ‘Copacabana’. Ao mudar para São Paulo conheceu Elis Regina, que daria projeção nacional ao cantor, como compositor também. Entre algumas de suas composições de sucesso estão: Apenas um Rapaz Latino-Americano, Paralelas e Medo de Avião. Elis Regina gravou em 76: Como Nossos Pais e Velha Roupa Colorida no LP ‘Falso Brilhante’, também com autoria de Belchior.

Em entrevista Belchior fala sobre o início de carreira e diz que a maior dificuldade foi inserir um tipo de música pessoal e mais rara naquele tempo. Ao passar por muitas dificuldades ele lembra que ao compor as músicas não esperava fazer sucesso. Com novas sonoridades a própria Elis Regina disse que não gostaria de ter alguém antes dela fazendo uma composição.

4

Ele faz questão de sempre deixar clara a importância que o nordeste teve para o seu início na música e na vida. Belchior relembra que a religião teve um grande marco no nordeste e assim no seu lado artístico também, coisas como salmos, novenas, entre outras coisas. Ele diz que ao chegar em São Paulo tudo ficou individualizado e você passa a fazer parte da grande manada humana das grandes cidades perdendo assim o vínculo e os laços com as outras pessoas. Ele lembra a importância do movimento ‘Tropicália’, que deflagrou uma grande reestruturação no Ceará, onde ele cresceu e a partir de então a própria inovação cultural veio com o movimento do tropicalismo. Ele lembra de Milton Nascimento e sua consciência mineira, que retratava tudo de forma amena e interessante. Ele lembra de coisas para a música utilizadas no nordeste, que ele acabou inserindo em sua carreira. O Professor Pasquale entrevista o cantor Belchior no Programa Nossa Língua Portuguesa (1996) e no mesmo ele fala sobre a intenção de comprometer em suas canções os aspectos pessoais mais relevantes e passados pela atualidade da música ao longo do tempo. Além, é claro, da conversa sobre os textos longos de Belchior e todo o artesanato utilizado na produção dos textos de suas músicas. Algo coloquial que atinge um ponto chave na reprodução: o ponto vocal e a sonoridade da palavra. Em entrevista ele deixa claro que pretende continuar cantando e compondo até o fim da vida.

O produtor musical e colunista da BandNews FM, João Marcelo Bôscoli disse que o trabalho de Belchior ajudou a definir a música pop nacional e conheceu o cantor através de sua mãe: Elis Regina; que interpretou diversas canções do artista Belchior.

5.

Anúncios

[Cem anos: revolução russa]

 

ppt-revoluo-russa-de-1917-1-638

Após 100 anos da Revolução Russa, um dos maiores eventos históricos do século XX, algo pode ser questionado pois o mesmo representou um sério impacto central na configuração político-social do mundo. Assim construiu um processo de industrialização e urbanização únicos em termos de lapso temporal e logo representou uma contribuição decisiva para a derrota do terror nazi-fascista e a parir daí foi decisiva para as lutas de libertação dos povos do terceiro mundo e então solidariedade aos outros povos e nações que caminhavam para o socialismo. Segundo palavras do professor José Paulo Netto, houve uma associação criminosa e mafiosa, que instaura relações capitalistas e assim recupera da ordem do capital o que há de mais desigual da propriedade pública. O processo revolucionário também passou por deformações, equívocos, erros e crimes cometidos em nome do socialismo. Sobre a economia dentro da socialização do poder político, houve um inevitável congelamento, com a estatização da economia, resultado da ordem do capital. As tentativas de autogestão econômica representaram uma dessincronização, logo, sem sincronização do poder político não há socialismo viável e isso pode ser acompanhado a partir dos projetos e modelos que caíram por si.

O período de conflitos teve como base o poder do Partido Bolchevique, de Vladimir Lênin. Recém-industrializada e sofrendo com a Primeira Guerra Mundial, a Rússia tinha uma grande massa de operários e camponeses trabalhando muito e ganhando pouco. Além disso, o governo absolutista do czar Nicolau II desagradava o povo que queria uma liderança menos opressiva e mais democrática. A soma dos fatores levou a manifestações populares que fizeram o monarca renunciar e, no fim do processo, deram origem à União Soviética, o primeiro país socialista do mundo, que durou até 1991.
A Revolução compreendeu duas fases distintas:
A Revolução de Fevereiro (março de 1917, pelo calendário ocidental), que derrubou a autocracia do Czar Nicolau II , o último Czar a governar, e procurou estabelecer em seu lugar uma república de cunho liberal.
A Revolução de Outubro (novembro de 1917, pelo calendário ocidental), na qual o Partido Bolchevique, derrubou o Governo Provisório apoiado pelos partidos socialistas moderados e impôs o governo socialista soviético. Terminada a guerra civil, a Rússia estava completamente arrasada, com graves problemas para recuperar sua produção agrícola e industrial. Visando promover a reconstrução do país, Lenin criou, em fevereiro de 1921, a Comissão Estatal de Planificação Econômica ou GOSPLAN, encarregada da coordenação geral da economia do país. Pouco tempo depois, em março de 1921, adaptou-se um conjunto de medidas conhecidas como Nova Política Econômica ou NEP[4]. Assim a ‘Era Stalin’ e o êxito na reconstrução do país e na elevação do nível econômico e cultural da população soviética tornando a URSS. Contudo, a União Soviética, o principal oponente da Alemanha na Europa passou a dispor de enorme prestígio internacional, mas teve enormes perdas humanas e materiais. O governo de Stalin terminou com sua morte no ano de 1953.

O evento também contou com a revolução das mulheres a partir de uma manifestação, que reuniu, na Rússia, mais de 90 mil mulheres contra o czar Nicolau II e a participação do país na Primeira Guerra Mundial. O evento, que também exigia melhores condições de trabalho e o fim imediato da fome que se alastrava pelo país, tomou proporções inimagináveis e culminou na chamada Revolução de Fevereiro, um prenúncio da Revolução de Outubro, que derrubou o czarismo, deu o poder aos sovietes e levou à construção da URSS. Para comemorar o centenário dessa data incendiária, a  Boitempo publica A revolução das mulheres, antologia de artigos, atas, panfletos e ensaios de autoras russo-soviéticas produzidos nesse contexto de convulsão social e política.

Liderados por Lênin, autor da obra “Tese de Abril”, os bolcheviques defendiam a delegação de poder político nas mãos dos sovietes e a instalação de uma ditadura do proletariado. Contando com o apoio de Leon Trotski, os bolcheviques organizaram um exército incumbido de findar com o governo menchevique. O chamado Exército Vermelho derrubou o governo provisório e instalou o Conselho Comissário do Povo. Esse conselho tinha Lênin como presidente, Trótski no comando dos negócios estrangeiros e Josef Stálin dirigindo os negócios internos.

Lênin

Vladímir Ilitch Uliánov Lênin (1870-1924) foi o mais importante líder bolchevique e chefe de Estado soviético, mentor e executor de um evento que inaugurou uma nova etapa da história universal, a Revolução Russa de 1917. Intelectual e estrategista com rara apreensão do momento histórico em que viveu, escreveu artigos e livros que inspiraram a articulação do internacionalismo socialista e aprofundaram a compreensão do capitalismo, dos efeitos do desenvolvimento desigual, do imperialismo e do Estado. Durante sua existência, praticou o que escreveu e escreveu sobre o que praticou, num notável exemplo de coerência. Quase toda a sua obra – teórica e prática – foi produzida nas duas décadas que inauguraram o século XX, período em que sua influência foi decisiva. Por isso e muito mais, é fundamental voltar a Lênin.

Inicialmente, Lênin estatizou os bancos e indústrias, realizou uma reforma agrária e retirou a Rússia da Primeira Guerra com a assinatura do Tratado de Brest-Litovski. Ao implantar medidas de caráter popular, as forças reacionárias russas tentaram derrubar o governo bolchevique. Mesmo tendo o apoio de nações estrangeiras, os exércitos anti-revolucionários não conseguiram vencer a determinação e o grande contingente do Exército Vermelho.

No campo político, a Duma passou a funcionar sob um sistema unipartidário, onde o Partido Comunista da URSS seria a única via de representação política do país. Nesse período, ganhou força a idéia de que o novo governo deveria criar formas para que o processo revolucionário socialista se expandisse nas demais nações do mundo. Além disso, o governo revolucionário se preocupou em conter os possíveis traidores do ideal revolucionário com a prisão e o exílio.

Desgastada com as movimentações da guerra civil, a Rússia não tinha condições para implantar um sistema econômico socialista. Para contornar esse problema, Lênin criou a Nova Política Econômica (NEP). Essa medida permitia a existência de práticas capitalistas dentro da economia russa. Lênin dizia que essa ação era necessária para que o país tivesse autonomia suficiente para alcançar os estágios inicias do projeto socialista.

Com tais medidas a economia russa dava claros sinais de recuperação e aquilo que Lênin defendia em tese parecia tornar-se realidade. No entanto, a aparente estabilidade governamental não durou muito tempo. A morte de Lênin, em 1924, trouxe uma tensão política promovida pela escolha do próximo dirigente do governo socialista. De um lado Trotski, que defendia a expansão dos ideais da Revolução Russa e do outro Stálin, que acreditava na consolidação interna do socialismo soviético. Stálin venceu a disputa pelo poder, dando novos rumos à revolução iniciada por Vladmir Lênin.

Lenin consolidou sua ideologia, acreditando e seguindo o marxismo, e passou a combater os populistas. Seu retorno definitivo e triunfal para Rússia ainda demoraria muito tempo para acontecer. Após formado, passou um tempo na Suíça, em 1895, onde fez contato com exilados russos, dentre os quais estava Plekanov. Quando voltou para Rússia, com a intenção de dar vida ao Partido Social Democrata Russo, acabou sendo preso e exilado na Sibéria, local onde permaneceu por três longos anos.

Ainda assim, em congresso do Partido Social Democrata Russo, a corrente da qual Lenin fazia parte conseguiu se impor graças a uma pequena maioria. Em 1905 eclodiu uma revolução na Rússia, sem liderança definida ou objetivos bem claros, mas que serviu para abalar a sustentação do czarismo no país e fragmentar o prestígio do então czar Nicolau II. Nesta ocasião, o partido de Lenin entrou em desacordo sobre as posturas que deveriam ser tomadas no movimento revolucionário e acabou se sucedendo um racha. A corrente interna que contava com a participação de Lenin ficou caracterizada por acreditar que as mudanças na Rússia deveriam acontecer através da ação revolucionária, dando origem ao Partido Bolchevique, de cunho mais radical. Já a oposição acreditava que o processo deveria ser mais moderado e contando com a atuação da burguesia, o que deu origem ao Partido Menchevique.

Durante sua existência, praticou o que escreveu e escreveu sobre o que praticou, num notável exemplo de coerência. Quase toda a sua obra – teórica e prática – foi produzida nas duas décadas que inauguraram o século XX, período em que sua influência foi decisiva. Por isso e muito mais, é fundamental voltar a Lênin. A Boitempo aceita o desafio e se lança nesta aventura fundamental: a coleção Arsenal Lênin!

Após a Revolução Lenin teve que fugir novamente da Rússia e passa a viver na Europa Ocidental. Alguns anos mais tarde a incomformidade com o czarismo se acentou na Rússia e o processo revolucionário tomou rumos mais organizados para a efetivação. Em outubro de 1917, os bolcheviques, liderados por Lenin, assumiram o controle da revolução e o poder russo. Em alguns momentos Lenin utilizou de mecanismos da economia de mercado, mas era ação integrante de sua política comunista na Rússia que influenciou o restante do mundo, mesmo que fosse necessário “recuar um passo para avançar dois”, como costumava dizer. Lenin participou da fundação da URSS e criou uma corrente teórica chamada leninismo que influenciou partidos comunistas em todos os lugares. No mesmo ano da criação da União Soviética, Lenin contraiu uma doença que o levaria à morte em 21 de janeiro de 1924. Seu corpo foi embalsamado e permanece até hoje exposto em seu mausoléu na Praça Vermelha, em Moscou.

*Bolcheviques: do russo “majoritário” Dois terços dos integrantes eram russos. “Partido Comunista” para enfatizar a distancia entre os moderados. Depois de 1917, ficaram conhecidos como “vermelhos” em oposição aos “brancos” mencheviques. *Mencheviques: Facção minoritária do POSDR (daí o menchevique) era formada por intelectuais e profissionais da classe baixa (tipógrafos e ferroviários) em busca do marxismo liberal. Em sua maioria judeus não russos, os mencheviques acreditavam no socialismo moderado, um sistema que seria conquistado democraticamente após a derrocada do capitalismo.
*Sovietes: órgãos representativos abertos a qualquer pessoa que quisesse participar. Divididos entre locais e distritais, organizavam greves e forneciam suprimentos aos trabalhadores. De prática moderada, não apoiavam a luta armada, defendida por Lenin. Destaca-se o Soviete de Petrogrado, que participou da Revolução de Outubro de 1917, em oposição ao governo provisório.

lenin-corpo

O Mausoléu de Lenin ou Mausoléu de Lenine (em russo: Мавзолей Ленина, transl. Mavzolei Lenina), é um ambiente localizado na Praça Vermelha, em Moscou, onde está guardado e exposto o corpo do líder fundador da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, Vladimir Ilitch Ulianov. A construção consiste em um salão coberto por cinco blocos em formato piramidal e cercado por um balcão, acessado por duas escadas ao lado de um portão, e que por sua vez dá acesso a uma tribuna. O mausoléu é composto das cores vermelha e preta, representando o sangue e o luto, respectivamente. Assim como o Túmulo do Soldado Desconhecido, o local é constantemente vigiado pelo batalhão presidencial, porém aberto para visitações.

O impacto da revolução russa influenciou a história em diversos ângulos e no mundo que vivemos atualmente repleto de intolerâncias relembrar o acontecido se faz extremamente relevante. O impacto da Revolução de 1917 transformou o mundo e repercutiu em cada canto do globo com efeitos nos campos: político, social, econômico, cultural e artístico. Hoje, com a maior possibilidade da leitura do contexto sob diversos aspectos o entendimento do seu todo é amplo. Os momentos de crise nos obriga a olhar para a história em resposta a polarizações simplórias no momento de enrudecimento de diversas intolerâncias e assim acompanhar discussões que relevam momentos tão relevantes da história. A abordagem das contradições que fazem parte do mundo auxilia para o amplo debate.

O SESC Pinheiros apresenta um seminário com debates compostos por grandes estudiosos do caso: ‘ Seminário Internacional 1917: o ano que abalou o mundo’. A partir desse evento, que une cursos, palestras, debates e conferências a discussão base centraliza a transição socialista e a ordem do capital.

Perspectivas das mulheres

Durante a revolução as mulheres representaram um núcleo diferenciado e a historiadora política e social da Rússia e da União Soviética, a norte-americana Wendy Goldman, fala sobre a distribuição da riqueza e recursos e lembra da constante discussão sobre o fato: se imagina algo, logo pode criar. Ela lembra algumas condições impostas pelos homens, que caminhavam baseados em princípios totalmente revolucionários e baseados em uniões livres. Dessa forma tudo seria aberto e totalmente indenpendente. A importância da Revolução Russa é que ela traz muitas lições a nos ensinar hoje. Devemos nos perguntar: Onde erraram os revolucionários? Por que o Stalinismo surgiu de uma revolução com ambições democráticas? E como pode se gerir melhor o desenvolvimento entre a cidade e o campo? A Revolução Russa deve ser estudada por todos que tem interesse em construir um futuro melhor que não é controlado pelo princípio do lucro. As ideias do planejamento são particularmente interessantes para as milhões de pessoas que tem sofrido com as crises econômicas cíclicas que são endêmicas do capitalismo, e a destruição do meio ambiente. Os Bolcheviques alcançaram o poder com um programa básico de libertação feminina que se baseava em quatro princípios: união livre, emancipação da mulher através da independência econômica, socialização do trabalho doméstico, e o gradual e inevitável desaparecimento da unidade familiar patriarcal. Foi um período de grande oportunidade e mobilidade social. Em nenhum outro país as mulheres ingressaram no trabalho assalariado industrial em tão pouco tempo. Brigadas de mulheres estudavam quais funções nas fábricas e minas poderiam ser executadas por mulheres. Se propuseram a abrir postos de trabalho semiqualificados e qualificados para mulheres, que eram antes reservados só para homens. Foram bem sucedidas em romper muitas barreiras no mundo do trabalho. Cantinas públicas, creches, e lavanderias foram criadas para socializar o trabalho doméstico. Relações sociais entre homens e mulheres começaram a mudar. Os principais retrocessos decorreram do altíssimo nível de desemprego feminino durante a primeira década após a revolução e da fome de 1921. A fome, junto à ruína econômica e à destruição dos longos anos de guerra, produziram milhões de crianças órfãs. Embora o Estado pretendesse socializar a reprodução social e criar lares e orfanatos para as crianças, não havia meios para realizar isso.
O primeiro retrocesso programático veio no começo da década de 1920 quando o Partido decidiu incentivar camponeses a adotar as crianças. A princípio isso tinha sido proibido para evitar que os camponeses usassem as crianças como mão-de-obra gratuita. Outros problemas ocorreram devido à alta taxa de desemprego feminino acoplado à facilidade do divórcio. Mulheres desempregadas foram forçadas a entrar na prostituição. Isso foi tido como a grande vergonha da revolução. Uma grande e relevante lição que pode ser tirada da Revolução seria algumas colocações relevantes e polêmica para o sexo feminino, como: o acesso livre ao aborto e a métodos contraceptivos seguros são importantes direitos; as mulheres devem ter controle sobre seus próprios corpos para se realizarem plenamente enquanto seres humanos iguais aos homens; a escolha livre de matrimônio e parceria é crítica; mulheres e homens devem ser livres para escolherem seus parceiros com base no respeito mútuo e amor, e devem ser livres para dissolver um relacionamento se ele não mais se sustenta sob essas bases. Segundo as militantes Bolcheviques nos mostraram o poder nunca é cedido às pessoas por aqueles que o detém. As russas tiveram que lutar pelos direitos das mulheres dentro e fora do Partido. E nunca foi fácil. Suas lutas ficam como uma lição para todos que lutam por um mundo melhor.

Vida de Trótski

Leon Trótski foi um intelectual marxista e revolucionário bolchevique, organizador do Exército Bermelho e após a morte de Lenin, rival de Stalin na disputa pela hegemonia do Partido Comunista da União Soviética.

Nos primeiros tempos da União Soviética, Trótski desempenhou um importante papel político, primeiro como Comissário do Povo (Ministro) para os Negócios Estrangeiros; posteriormente, como organizador e comandante do Exército Vermelho e fundador e membro do Politburo do PCUS.

Afastado do controle do partido por Stalin, Trótski foi expulso deste e exilado da União Soviética, refugiando-se no México, onde veio a ser assassinado por Ramón Mercader, agente da polícia de Stalin. As suas ideias políticas, expostas numa obra escrita de grande extensão, deram origem ao trotskismo, corrente ainda hoje importante no marxismo.

Contrariamente ao que a velha guarda bolchevique desejava, Trótski reorganizou o Exército Vermelho em torno do recrutamento compulsório de camponeses, enquadrados por oficiais do antigo Exército Imperial Russo, os quais eram vigiados quanto às suas simpatias políticas por propagandistas e militantes bolcheviques (“comissários políticos”) encarregados de validar as ordens militares dadas por estes oficiais, e garantir sua confiabilidade (“comando dual”). O Exército Vermelho foi assim constituído como uma organização hierarquizada e burocrática, que, como era norma em todos os exército desse tempo, apoiava-se no uso de uma disciplina estrita que previa o uso liberal da pena de morte para atos de covardia e deserção, aplicável tanto aos ex-oficiais do exército imperial quanto aos comunistas. Como o próprio Trótski explicou numa de suas proclamações:

“Aviso que se qualquer unidade [militar] recuar sem ordens para tal, o primeiro a ser fuzilado será o comissário [político] da unidade, e depois o comandante[…] É o que prometo solenemente diante de todo o Exército Vermelho”.

Tal atitude levou a constantes protestos de militantes bolcheviques, que prefeririam um Exército Vermelho organizado como uma milícia popular dirigida exclusivamente por comunistas e dotada de oficiais eleitos. Para Trótski – que nada tinha de militar profissional – no entanto, as necessidades de uma guerra moderna impunham a posse de conhecimentos técnicos especializados que poderiam ser encontrados apenas num corpo de militares de carreira, daí a necessidade absoluta do recurso a “especialistas burgueses”. Leve-se em conta que, pelo uso de uma disciplina tida por muitos como “brutal”, Trótski procurou impor a vigência do princípio meritocrático no Exército Vermelho: não teve qualquer hesitação em promover oficiais tzaristas competentes a postos de responsabilidade, nem hesitou tampouco em validar punições e mesmo fuzilamentos de militantes comunistas tidos como culpados de covardia.

Na situação militar desesperada do verão de 1918, com os bolcheviques reduzidos à posse da parte da Rússia Europeia em torno de Moscou e Petrogrado (São Petersburgo), com os alemães e austríacos ocupando a fronteira ocidental, os ingleses e franceses o Ártico russo, e as várias formações antibolcheviques, a Sibéria, Trótski recebeu carta branca do partido para aplicar seus métodos. O primeiro grande sucesso militar do Comissário da Guerra seria a defesa da linha de frente dos Urais contra as tropas da Legião Checoslovaca – uma tropa de soldados checos emigrados mobilizados para a luta contra os austríacos ao lado do exército tzarista, que haviam sido instigados pela Entente franco-britânica (Entente Cordiale) e pela oposição russa a lutarem contra os bolcheviques – defesa esta que culminou na tomada de Kazan pelo Exército Vermelho em 10 de setembro de 1918.

Ironicamente, afastado Trótski, Stalin vira-se contra Bukharin e acaba por apropriar-se de muitos dos preceitos da política econômica enunciados por Trótski, implementando-a, todavia, de uma forma criticada por uma grande maioria, como exageradamente violenta e autoritária. Tal “virada à Esquerda” de Stalin, no entanto, fez muito para privar a Oposição de Esquerda de grande parte dos seus partidários na URSS, que acabam por aderir a Stalin, que consideram estar realizando na prática o programa da oposição, nomeadamente o economista Ievguêni Preobrajenski e o antigo chefe de governo da Ucrânia soviética e amigo pessoal de Trótski desde a época de sua estadia nos Bálcãs, o socialista romeno de etnia búlgara Christian Rakovski – que, juntamente com a imensa maioria dos antigos trotsDepois de um longo período de uma Rússia devastada por protestos e depois recuperada houve um momento critico que foi em 1924, que o governante Lênin que deu novas caras a Rússia tinha morrido e quem assumiu o poder foi o forte Joseph Stalin e começou a governar o país com força e com mãos de ferro.kistas, haveriam de perecer nas Grandes Purgas dos anos 1930.

Por trás de todas estas querelas, estava a defesa de Trótski do Exército Vermelho como organização não partidária, que fez com que ele tivesse, desde muito cedo, de defrontar-se com uma cabala no interior do partido, dirigida por Stalin – que, entre Maio e Outubro de 1918, estava encarregado de organizar serviços de intendência no fronte de Tsartsin – a futura Stalingrado – e havia tornado-se o governante informal da região do Baixo Volga, onde instalara um reinado de terror dirigido contra as antigas classes dirigentes e especialmente contra os antigos oficiais do exército imperial, fuzilados sob qualquer pretexto. Stalin e seu futuro Ministro da Defesa, Kliment Voroshilov, levaram sua oposição a Trótski ao ponto de recusarem subordinar-se ao ex-general tzarista Andrei Snesarev, nomeado por Trótski para dirigir as operações militares na região. Ao criticar a política de Trótski como hostil aos “velhos bolcheviques”, Stalin conseguiu uma primeira base de apoio na burocracia do partido que lhe seria muito útil na luta posterior pelo poder.

Outros dois revolucionários são pouco lembrados mas também foram relevantes para a base da Revolução:

*Sverdlov: membro do partido e segundo Lenin ele carregava em si a “essência da revolução proletária”. Ele conseguiu expressar, do modo mais completo e efetivo do que qualquer outra pessoa, a própria essência da Revolução Proletária 

*Lev Kamenev: em 1918 tornou-se presidente do Soviete de Moscou e no fim dos anos 20 foi expulso por Stálin do Partido Soviético e foi perseguido e assassinado pela burocracia stalinista após os processos de Moscou, que perseguiu os “velhos bolcheviques”. Antes disso, participou da Oposição de Esquerda, liderada por Trótski, contra a política stalinista, mas capitulou e seguiu a política stalinista nos seus últimos anos. 

A União Soviética e o Brasil

No Brasil, a Fundação do Partido Comunista ocorre após a Revolução de outubro, que significou um acontecimento base para abalar o mundo. A partir de então, profissionais afirmam que a história do século XX não pode ser entendida sem a Revolução Russa e seus efeitos diretos e indiretos. A América Latina e o Brasil, em particular, não deixariam de ser atingidos pela repercussão desse grande evento mundial. Assim, o movimento operário, que estava nas mãos dos anarquistas se mobilizou contra as condições de trabalho e assim entidades e federações foram criadas pela luta.

A Revolução foi simbolizada como econômica na origem e fim, mas acentuadamente libertária nos meios, processos e direção. Assim ensinou aos revolucionários e aos povos de todas as nações uma única e  moderna fórmula de eficácia destrutiva, operando assim uma revolução social profunda. Sem esquecer e relevar, é claro, a imprensa anarquista daqueles anos, como o Jornal anarquista de 1918, O Cosmopolita, que registrou a instalação da ‘soberba’ revolução russa. Diversos meios de comunicação e grandes profissionais da área faziam suas críticas e relevações sobre a grandeza e importância da Revolução. Os países vizinhos do Brasil, como a Argentina, Uruguai, Peru e Chile, por exemplo, já contavam com partidos socialistas, mas, ainda assim, o país passou por uma espécie de lentidão, estagnação e forte atraso cultural.

No Brasil, o nacionalismo passou a simbolizar um conceito inclusivo, assim a construção do nacionalismo foi forte e passou a fazer parte da cultura brasileira. Desse forma o espírito nacionalista emergiu, com uma espécie de efeito inclusivo e procurou se desvencilhar das questões raciais e ambientais, características do início da república velha. Assim as concepções nacionais relevadas pelo PCB- Partido Comunista Brasileiro, frutificariam no Brasil graças a sua aceitação por amplos setores sociais influenciados pelo pensamento nacionalista. Lembranças sobre a Revolução Cubana, em 1959 e no próximo ano, que terá o aniversário de 90 anos do saudoso Ernesto Guevara de la Serna- Che Guevara. Essas lembranças podem auxiliar para relevar o momento que vivemos. Lembrança sobre a semelhança das notificações da imprensa no período desses acontecimentos, que passava informações filtradas da imprensa estrangeira. E como exemplo base seria o material filtrado de alguns lugares, como a United Press, Sociated Press, o Correio de La Sierra, entre outros.

A disputa comunicativa era entre uma imprensa anarquista e outra que atacava Lenin e os Bolcheviques. A disputa política ideológica existia e era muito forte, principalmente do lado do marxismo na América Latina. Algumas publicações da imprensa operária devem ser relevadas, como: Spartacus, Voz do Povo, A Plebe, Avanti, Vanguarda, Movimento Comunista, entre outros. Com textos dos militantes brasileiros e viajantes ou estrangeiros. Assim, diversos órgãos foram criados no Brasil, do lado político e cultural para divulgar o que estava acontecendo na União Soviética. Esse momento foi marcante na história da humanidade, e fazendo uma leve comparação, a Revolução Russa pode ser comparada com a Revolução Cubana na América Latina. Ambas tem uma força inigualável na história mundial. Um elemento base, que vale ser lembrado é a reconstrução da Europa pelos EUA e sob a visão de Stalin, que buscava reconstruir a Rússia e assim atrelar o país numa espécie de sufocamento entre as pátrias.

Palavras de diversos estudiosos e Anita Leocádia Prestes, filha de Luiz Carlos Prestes em debate no Sesc Pinheiros.

O sociólogo Antonio Carlos Mazzeo entra num quesito extremamente importante e relevante ao citar alguns âmbitos, como: as lutas negras, o quesito LGBT, entre outros e releva que eles devem ser colocados na luta geral pela emancipação humana.

Após um longo período de uma Rússia devastada por protestos e depois recuperada houve um momento critico que foi em 1924, que o governante Lênin que deu novas caras a Rússia tinha morrido e quem assumiu o poder foi o forte Joseph Stalin e começou a governar o país com força e com mãos de ferro. O governo de Stalin foi caracterizado como um forte e rápido crescimento econômico, o setor que mais se houve crescimento no governo de Stalin foi  a indústria pesada e outra característica desse governo foi o gasto de dinheiro pelas forças armadas, assim deixando a Rússia como uma das maiores potências do mundo.Durante seu governo Stalin estabeleceu marcas politicas e essas marcas foram chamadas de Planos Quinquenais, esses planos eram basicamente metas a serem cumpridas pelo governo e pelo povo. Esses planos influenciaram no crescimento ou desenvolvimento acelerado das tecnologias que eram o transporte ferroviário e a siderurgia, tornando o país uma forte e grande potência de energia , industrial e agrícola.

A Revolução Russa trouxe para a realidade a ação inerente ao pensamento de Marx: “Até agora os filósofos ficam preocupados na interpretação do mundo de várias maneiras. O que importa é transforma-lo”. Quer seja concordando ou discordando dos métodos, das ações e das decisões destes revolucionários, não se pode negar que sua ação, acima de qualquer outra, moldou o mundo que viria a seguir daquele agitado outubro de 1917.

 

base

 

Glossário

*URSS: A união das Repúblicas Socialistas Soviéticas teve início em 1922, com a unificação da Rússia aos países socialistas vizinhos. Sobreviveu até sua dissolução completa, em 1991.

*Bolcheviques: do russo “majoritário” Dois terços dos integrantes eram russos. “Partido Comunista” para enfatizar a distancia entre os moderados. Depois de 1917, ficaram conhecidos como “vermelhos” em oposição aos “brancos” mencheviques.    *Mencheviques: Facção minoritária do POSDR (daí o menchevique) era formada por intelectuais e profissionais da classe baixa (tipógrafos e ferroviários) em busca do marxismo liberal. Em sua maioria judeus não russos, os mencheviques acreditavam no socialismo moderado, um sistema que seria conquistado democraticamente após a derrocada do capitalismo.

*Sovietes: órgãos representativos abertos  a qualquer pessoa que quisesse participar. Divididos entre locais e distritais, organizavam greves e forneciam suprimentos aos trabalhadores. De prática moderada, não apoiavam a luta armada, defendida por Lenin. Destaca-se o Soviete de Petrogrado, que participou da Revolução de Outubro de 1917, em oposição ao governo provisório.

*Mencheviques: Facção minoritária e formada intelectuais e profissionais da classe baixa em busca de marxismo liberal. Em sua maioria judeus não russos, os mencheviques acreditavam no socialismo moderado, um sistema que seria conquistado democraticamente após a derrocada do capitalismo.

Fontes: Dossiê Superinteressante, Boitempo Editorial  e Seminário no Sesc Pinheiros.

– #seminario1917

 

Edilson Martins

stalin-e-lenin 1

Faz, agora em outubro, 100 anos da revolução soviética, certamente um dos acontecimentos decisivos para o desenrolar de todo o século 20.

(…) Em outubro de 1917, os bolcheviques (maioria, em russo) lideraram uma revolução, invadiram o palácio do czar, subiram pelas escadarias e derrubaram séculos de absolutismo, instalando um governo de operários e camponeses.

Tudo mentira.

Os bolcheviques não eram maioria, o czar não morava no palácio de inverno (ele abdicara em março e estava preso a quilômetros de distância).

Em outubro de 1917 não havia mais monarquia, e a Rússia era uma república mambembe. 

Os poucos revoltosos entraram no palácio por janelas laterais, e o prédio não estava guarnecido por tropa capaz de defendê-lo. 

A cena da tomada do palácio, com uma heroica multidão subindo sua escadaria foi uma invenção do cineasta Sergei Eisenstein. Ele teve a ajuda de cinco mil figurantes, e a filmagem, em…

Ver o post original 68 mais palavras

Soroko’s Bar

Layout

A família dona da sorveteria Soroko, uma sorveteria clássica e com belos sorvetes caseiros e veganos na rua Augusta resolveu inovar com um bar, que funciona nas noites do ambiente urbano. Essa é uma nova opção para as noites no Baixo Augusta e conta com um ambiente aconchegante, com estilo rústico, despojado e com som ambiente. No andar superior um terraço está disponível para interação e visualização da rua, unindo assim o ambiente e boas energias.

Terraço.jpg

Os filhos de Anatolie Soroko: Júnior, André e Alexandre se reuniram e decidiram investir nessa inovação a partir de uma bela reforma e melhorias no ambiente dessa casa antiga e bem grande.

O Soroko’s Bar representa um espaço mezanino e traz um ambiente com ótimas opções de drinks a partir da coquetelaria e um belo exemplo é a ‘Mula de Moscow’, além de outras boas opções, como:

Star fruit, Sem som e sem imagem, Shot dos Milagres e Manda um Negroni pra cá. Diversos petiscos também estão disponíveis, como: frango marinado na cerveja, bolinho de risoto de alho poró e batatinha ao alecrim.

Mula de MoscowMula de Moscow’

Shoot pega fogo

‘Shoot pega fogo’ 

O local também abre o espaço para eventos de stand-up comedy, além de contar com um belo terraço com luzes charmosas. O Stand-up comedy Show ‘Na Hora da Missa’ é um exemplo da descontração e inovação trazida pelo ambiente em pleno domingo, apreciada por um bom público. O bar também traz diversas opções e promoções, como por exemplo, compre um drink específico e ganhe uma porção, entre outras coisas.

missa

@sorokosbar

R. Augusta, 550, Consolação, tel. 2361-2047. Ter.: 18h às 24h. Qua. e qui.: 18h à 1h. Sex.: 18h às 2h. Sáb.: 16h às 2h. Dom.: 15h às 21h.

 

Terra em Transe

67_177148A

O Cineclube Vladimir Herzog exibiu em agosto o filme de Glauber Rocha, Terra em Transe- 1967, que após 50 anos simbolizou um delírio na época. Um drama que foi roteirizado e dirigido por Glauber Rocha e simbolizou um dos ícones do Cinema Novo. Considerado o mais importante e polêmico filme do cineasta baiano, em novembro de 2015 o mesmo entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). Representando assim, um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.

O filme pode ser lido como uma grande parábola da história do Brasil no período 1960-66, na medida em que metaforiza em seus personagens diferentes tendências políticas presentes no Brasil no contexto. Realiza uma exaustiva crítica de todos aqueles que participaram desse processo, incluindo as diferentes correntes da chamada esquerda brasileira. Esse foi um dos motivos pelos quais foi tão mal recebido pela crítica e pelos intelectuais nacionais. Em planos de filmagem incomuns, Glauber exibe de forma poético-política as contradições do nascimento e da colonização de Eldorado, permeadas pela tradição cultural brasileira, fazendo alusão ao momento político vivido pelo Brasil, em plena ditadura militar.

ok

Considerado pela escritora francesa Marguerite Duras ‘uma fabulosa obra cinematográfica’, o terceiro longa de Glauber foi inovador em sua linguagem alegórica, lançando as bases para o movimento tropicalista. Na época de sua estreia o filme levou inclusive o troféu Luís Bruñel prêmio da Crítica Internacional no Festival de Cannes (1967).

Após a transmissão houve um belo debate- roda de conversa, com o critico de cinema e curador de mostras e festivais cinematográficos, Adilson Mendes e do cineasta e artista multimídia Pedro Paulo Rocha, filho de Glauber Rocha. O Cineclube também apresenta, entre outras questões, uma parceira com o Sindicato dos Arquitetos do estado.

Nos anos 70, Glauber Rocha produziu o “Leão de Sete Cabeças”, que foi gravado no Quênia, e “Cabeças Cortadas”, produzido na Espanha. O seu último filme foi “Idade da Terra”. Ele foi um dos cineastas responsáveis pelo movimento da vanguarda intitulado ‘Cinema Novo’. Foi criado na religião da mãe, protestante, membro da Igreja Presbiteriana, por ação de missionários norte-americanos da Missão Brasil Central.
Alfabetizado pela mãe, estudou no Colégio do Padre Palmeira – instituição transplantada pelo padre José Luiz Soares Palmeira de Caetité (então o principal núcleo cultural do interior do Estado).  Em 1947 mudou-se com a família para Salvador.

Ali, escrevendo e atuando numa peça, seu talento e vocação foram revelados para as artes performativas. Participou em programas de rádio, grupos de teatro e cinema amadores, e até do movimento estudantil. Sempre controvertido, escreveu e pensou cinema. Queria uma arte engajada ao pensamento e pregava uma nova estética, uma revisão crítica da realidade. Era visto pela ditadura militar,  que se instalou no país, em 1964, como um elemento subversivo.

Em 1971, com a radicalização do regime, Glauber partiu para o exílio, de onde nunca retornou totalmente. Em 1977, viveu seu maior trauma: a morte da irmã, a atriz Anecy Rocha, que, aos 34 anos, caiu em um fosso de elevador.

Em 2014, documentos revelados pela Comissão da Verdade indicaram que o governo militar pretendia matar Glauber Rocha, que se encontrava exilado em Portugal. O relatório foi produzido pela Aeronáutica, e descreve Glauber como um dos líderes da esquerda brasileira. A monitoração de Glauber era feita através de entrevistas que ele concedia a publicações europeias, criticando o governo militar e a repressão promovida por ele, considerando seus depoimentos um “violento ataque ao país”

Glauber de Andrade Rocha faleceu no Rio de Janeiro, no dia 22 de agosto de 1981.

2

[Chester Bennington e o Rock do início do século]

Descanseempaz

Com um vocal que despejava raiva e angústia, Chester Bennington ajudou a moldar o Rock do início do século, onde ele cantava, se esgoelava, colocava para fora angústias partilhadas por milhões de adolescentes. Foram 70 milhões de discos vendidos com suas angústias ensurdecedoras pela sua banda, o Linkin Park, ao longo de 17 anos de estrada. No Brasil, encabeçou o festival de heavy metal ‘Maximus Festival’, em Interlagos e retratou uma sonoridade mais pop (ancorando-se cada vez mais na versatilidade recém-descoberta da voz de seu vocalista). Não tinha a classe do amigo Chris Cornell, morto há pouco, mas se garantia na potência. O Linkin Park foi barulhento até o fim, e no final de sua apresentação, restava um zumbido. No palco era uma força impressionante e no Brasil encontrou um público bastante fiel. Chester morreu asfixiado, a hipótese de suicídio é investigada, mas não confirmada pela polícia local. Ele calou a própria garganta, daquela geração de bandas roqueiras nascidas para calar um detestável pós-grunge do fim da década de 90.

Em sua microrevolução, o Likin Park representou uma fusão, quase industrial, metalúrguca, daquela essência roqueira ao hip-hop e, principalmente, eletrônica; representando assim o nu-metal em um fenômeno de massas, como o Limp Bizkit e o Korn.

Estouraram a bolha e abriram a porteira da MTV e das rádios para o movimento que cavou a cova do grunge, um gênero já agonizando sob o comando de bandas como Creed e Nickelback. Nascido em Phoenix, nos Estados Unidos, cantava com um impulso que a vida lhe deu e aos 7 anos foi molestado por um amigo mais velho. Já no Linkin Park falou sobre os medos que sofria e foi a base para a destruição de sua autoconfiança. Na Califórnia conheceu as drogas e consumia com um ‘amigo’. Bennington respondeu a um chamado para audição de uma banda que viria a ser o Linkin Park, que chegou ao terceiro lugar da parada de discos mais importantes dos EUA. A recaída veio no meio do turbilhão de popularidade do Linkin Park, que se manteve no topo do seu jogo com o segundo disco ‘Meteora’- 2003.

th1

Nessa fase já cantava sobre a superação e o cansaço de sentir o peso do mundo sobre as costas. Seus gritos eram ‘pedidos de ajuda’. Um artista que retratava uma alma corroída e assim restou apenas o zumbido.

*Coincidências*

Após a morte de Chris Cornell, Chester Bennington disse que não imaginava um mundo sem o amigo. E Chester se matou no dia do aniversário de Cornell e da mesma forma que ele, por enforcamento. E hoje o mundo se vê sem nenhum dos dois.

chris-cornell-chester-bennington

Fontes: O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo

Hair Brasil 2017 [16º edição]

Em nova edição, a Feira Internacional de Beleza, Cabelos e Estética, que há 16 anos investe e contribui para o crescimento do setor, busca qualificar os profissionais da área, através da reinvenção e novas descobertas para o constante crescimento do setor. A Feira profissional setorizada trouxe inovações nas áreas de: Estética, Make Up, Nail, Varejo Negócios, Show, Profissionais negócios e Profissional Show. Entre os expositores, 570 marcas estavam presentes e o evento contou com o apoio Institucional da Abihpec. A intenção principal visa inovar e assim levar para a indústria e profissionais das mais diversas áreas as últimas novidades e além de tudo busca influenciar uma era de bons resultados em todo o trade de beleza. A Feira retrata uma plataforma de negócios e lançamentos de produtos, tecnologias e serviços e diversos profissionais visitam a feira buscando a atualização com as novidades do setor. O Brasil está entre os líderes mundiais no consumo de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos. Isso retrata a valorização com os cuidados pessoais e assim uma qualidade de vida mais saudável. O país já conta com 25 milhões de pessoas acima dos 60 anos, que retratam 20% do consumo. Para atender o crescente mercado sênior e o promissor mercado masculino torna-se extremamente necessário compreender os desejos destes consumidores e assim buscar a capacidade de transformação. A Hair Brasil simboliza a maior feira voltada para este segmento profissional da América Latina e assim retrata a aproximação do empreendedor de beleza das indústrias de produtos. Logo, a Feira visa atingir um mercado cada vez mais forte e competitivo. A área Hair Brasil Exporter, ofereceu um serviço especial para compradores internacionais interessados em produtos brasileiros. Assim, houve uma apresentação das últimas novidades do mercado nacional das grandes empresas brasileiras aos compradores internacionais. Caravanas do Brasil todo também participaram do evento e profissionais aproveitaram para ampliar o networking. Em 2016, 548 organizadores foram responsáveis pela

vinda de 18.500 profissionais de Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins. O perfil base do visitante foi a seguinte: 46% do setor de cabeleireiro, 16% salão de beleza, 11% Distribuidor lojista, 9% estética, 5% manicure/podólogo e 4% maquiador.

fermento

Uma inovação também estava presente na Feira e retratava produtos all nature Professional’ como a linha ALISENACabelos lisos e soltos; que trazia produtos como: shampoo, condicionador, máscara e finalizador. A base ‘Sem Frizz’ é sem sal, formol e tioglicolato. Já o Fermento capilar traz uma união do volume perfeito e crescimento capilar.

alisena

Cabeleireiros, esteticistas, administradores de salões e clínicas de beleza também elegem a Hair Brasil como seu grande momento de atualização. Através da completa programação de congressos, seminários e workshops os profissionais podem conhecer técnicas mundiais, além de conferir as novidades da indústria e falar direto com seus fornecedores, trocando experiências e desenvolvendo ideias. A Hair Brasil é o melhor caminho para chegar aos empresários de redes e profissionais de todo o País.

Entre as oficinas apresentadas algumas se destacam e entre elas estão: Realidade Digital para empreendedores da beleza, onde o jornalista Mariano Rocha enfatizou a importância de investir em marketing digital e ressaltou a importância da qualidade nos conteúdos digitais e engajamento nas redes sociais. Outro tópico focado foi a conscientização sobre o projeto Beleza Verde, que envolve uma união da gestão de marketing, meio ambiente, sustentabilidade e redução de desperdícios aos proprietários de salões de beleza. Márcio Mattana, representante do projeto, explicou que os trabalhos são voltados para uma dinâmica ambiental e coleta de resíduos nos estabelecimentos de beleza parceiros. Segundo ele, os trabalhos já estão a todo vapor e o Beleza Verde quer conscientizar ainda mais o trade e por isso escolheu a Hair Brasil para ampliar a sua atuação.

barba

Dentro desse mercado natural os produtos para a barba masculina não poderiam ficar de fora, uma vez que os homens encontraram na barba o principal meio de expressão de sua individualidade. Assim, a formulação de cremes e géis de limpeza feitos com ativos obtidos na biodiversidade brasileira, são efetivos antioxidantes que oferecem, não somente suavidade, como proteção contra os poluentes que os habitantes das grandes cidades enfrentam. Aproveitando, pela primeira vez a Hair Brasil teve, entre seus diversos eventos, a Arena Clube Batalha dos Barbeiros, cenário de barbearia com sinuca, bar e mesa de jogos.

barber

A Van de Velde, empresa especializada em moda retrô, também esteve presente e divulgou diversas peças novas para o mercado das barbearias, que tem crescido bastante.

Além disso, na palestra da farmacêutica bioquímica, Luciana Moreno, que realiza pesquisas e desenvolvimento de matéria-prima para cosméticos voltados para os fios, ela enfatizou que a formulação de produtos obtidos com base em certas substâncias naturais promovem limpeza e tratamento das barbas sem risco de agressão à pele ou ao meio ambiente. Ela reiterou sobre o uso de diversas substâncias naturais, obtidas na biodiversidade nacional, como o óleo de pracaxi.

Pela primeira vez na Hair Brasil, fabricantes de produtos para unhas tiveram espaço exclusivo junto aos profissionais da área e a Linha Dailus Color divulgou maquiagens e outros produtos para o setor da beleza, como esmaltes e Makeup.

Realidade Digital para empreendedores da beleza

Diante da atual realidade digital que o mundo está vivendo, o jornalista Mariano Rocha enfatizou a importância de investir em marketing digital. A apresentação aconteceu no Espaço dos Distribuidores da Hair Brasil e reuniu profissionais de beleza, empresários do setor e interessados em conhecer mais sobre as oportunidades que as redes sociais proporcionam aos negócios.

Segundo ele, as postagens, promoções, lançamentos, informativos e o relacionamento que a internet e as mídias digitais promovem são essenciais para gerar oportunidade para turbinar os negócios e dar uma guinada na carreira dos profissionais da beleza.
“A produção do conteúdo digital faz a diferença para as empresas e profissionais se tornarem referências, além de criar conexões; aumentar a visibilidade e o reconhecimento da empresa; elas impulsionam a geração de ideias e promoções para melhorar e evidenciar produtos e serviços; aumentar número de engajamentos e visitas no site da empresa, além de gerar fãs e fidelizar clientes.”

O jornalista ressaltou que os conteúdos digitais precisam ter qualidade e objetividade para atrair a atenção e, automaticamente, criar engajamentos nas redes sociais. “As redes principais como Instagram, Facebook e WhatsApp são as mais utilizadas no mundo e juntas impulsionam o relacionamento com clientes, fornecedores, equipe técnica e amigos dos amigos. Através delas é possível criar ações institucionais ou técnicas, promoções, enquetes, eventos e, principalmente relacionamento para conhecimentos do mercado e/ou dos clientes potenciais”, informa o digital influencer lembrando que são mais de 1,18 bilhão de pessoas conectadas em todo mundo. E o Brasil é o terceiro país com o maior número de usuários, 99 milhões de contas ativas. Portanto, de cada 10 brasileiros, oito acessam a internet e tem contas no Facebook. (Fonte Facebook Marketing). Entre as diversas apresentações, os participantes da Hair Brasil contaram com Simpósios ministrados por profissionais do ramo, retratando facilidades, custos, benefícios e soluções para a otimização dos negócios da área. Com mais de 50 anos de experiência no setor de beleza, o americano Barry Thomas ofereceu um serviço de consultoria em exportações para as marcas brasileiras e o objetivo principal foi auxiliar as empresas a entrarem nos Estados Unidos com possibilidades de estabelecer laços e fazer grandes negócios. Ele frisa que a boa qualidade é um grande diferencial dos produtos nacionais e lembra que diversos termos são traduzidos erroneamente. Além disso, Barry lembra que as formas de gerenciar são muito divergentes, mas eles acreditam muito no mercado brasileiro, pois a qualidade é primorosa, o que é um grande diferencial no mercado internacional.

 

O setor de maquiagem é um dos que apresentam maior força e constante crescimento, por isso contou com um espaço exclusivo na feira: Make Up Brasil. A Ikesaki, visando estreitar relações com o público profissional, também ofereceu diversos workshops completos para cabeleireiros. Entre os diversos serviços apresentados, podemos citar: a dermopigmentação, despigmentação e micropigmentação. O último contou com uma professora e especialista russa: Elena Pavlova; que ressaltou a importância do visagismo. Sobre a micropigmentação ela reiterou que sendo corretiva ou decorativa, a mesma contribui para devolver a autoestima dos clientes, resgatando e evidenciando a beleza natural.

Ovisagismo também foi retratado pela terapeuta capilar Sandra Araújo e lembrado para o despertar da essência feminina de dentro para fora, eliminando assim os padrões de beleza que são impostos pela moda e sociedade. Dessa forma, o visagismo prioriza uma verdadeira investigação, adequação e harmonização para um resultado final de imagem pessoal.

uou

A feira retratou uma junção de diversas áreas da beleza e atingiu o público nacional e internacional, visando assim alcançar diversos âmbitos do setor e manter uma constante atualização do ramo.

Para mais informações entre em contato:
e-mail: congressos@hairbrasil.com.br

Fonte: www.hairbrasil.com

Salvar

Salvar

[*Circus Hair*]

circus-1

[Espaço que une beleza, arte, moda e entretenimento]

O salão conta com um ambiente inovador e a união de conceitos, além do layout londrino, que pode ser caracterizado de forma muitíssimo relevante para o ambiente de beleza e moda. As penteadeiras coloridas remetem ao camarim do circo e a pintura listrada remete à tenda do ambiente circense, que conta com argolas, lira, trapézio, sinuca e fliperama.

1

Todo último sábado do mês o local conta com um evento, funciona normalmente e os funcionários trabalham a caráter. A partir das 17 horas acontece a apresentação de um DJ ou banda ao vivo e o público pode curtir o som e todo o ambiente descolado do lugar. Temos o Circus da Pamplona-Jardins e da Rua Augusta. O público que frequenta a Augusta também representa um grupo que busca o Pub, para ouvir um som bacana, tomar uns drinks, aproveitar os jogos, como sinuca, Pinball e o ambiente atrativo. O grupo vai desde o cliente que busca inovação, sendo descolado e moderno até o público convencional, que apenas busca um belo corte de cabelo. Entretanto, o salão está aberto para quem gosta de se cuidar, ser bem tratado e assim cuidar da autoestima. Diversas pessoas passaram a frequentar o Circus por conta do preço diferenciado: a partir de R$60,00. Logo, quem aprecia se cuidar e tentar ficar 100% consigo mesmo encontra no local o ambiente propício para alcançar essa expectativa.

barba

[Barbearia]

A Hairstylist Rebeca Mascarenhas Mayer, trabalha no Circus há quase 1 ano e aprecia muito o ambiente, que une diversos tipos de serviços unidos em um só local, como o PUB, algumas exposições de artistas nas paredes e também barbeiras mulheres. Logo, sobre o público frequentador do local, podemos encontrar desde o mais convencional até aquelas pessoas que buscam um novo e mais ousado visual. A inovação sempre é trazida para o ambiente e a maioria das pessoas que trabalham aqui retratam um layout diferenciado e inovador. Segundo ela, diversos eventos ocorrem no ambiente, como feiras e o dono sempre busca renovar e inovar o ‘multiespaço’, onde diversas coisas acontecem dentro do mesmo. O dono do local é Rodrigo Lima, que também é cabeleireiro.

vinicius

Vinícius Kevinn: trabalha no Circus desde fevereiro de 2016.

Endereços:

Circus Pamplona

R. Pamplona, 1115 – Jd. Paulista – SP
11 32622127 – 11 32530510

Estacionamento conveniado: número 1119

[Circus Augusta]

R. Augusta, 1026 – Consolação – SP
11 32531698 – 11 32835863

*Bob Dylan* o primeiro músico a ganhar o Nobel em 115 anos

cjgoyebwyaevatf

O Nobel, concedido pela primeira vez pelas letras de um cantor e compositor causou uma reação negativa em alguns poucos literatos, mas agradou uma quantidade muito maior. Sua nomeação pode ter mudado o Nobel para sempre, isso depois que a sua arte, em 54 anos de atividade praticamente ininterrupta, mudou o mundo. O cantor e compositor de folk rock Bob Dylan foi batizado como Robert Allen Zimmerman ao nascer, no dia 24 de maio de 1941, em Duluth, Minnesota, nos Estados Unidos. Enquanto cursava a faculdade, ele passou a tocar músicas folk e country e adotou o nome “Bob Dylan”. Em 1961, Dylan assinou seu primeiro contrato, e continua a fazer tours com seus recentes discos de estúdios, que incluem “Together Trough Life” (2009), “Tempest” (2012) e “Shadows in The Night” (2015).

Dylan é diretamente retratado como um cantor que desagrada músicos e um poeta criticado por escritores. O cantor e compositor de folk rock Bob Dylan foi batizado como Robert Allen Zimmerman ao nascer, no dia 24 de maio de 1941, em Duluth, Minnesota, nos Estados Unidos. Influenciado por pioneiros do rock como Elvis Presley, Jerry Lee Lewis e Little Richard (quem costumava imitar no piano durante os bailes da escola), o jovem Dylan formou suas próprias bandas, incluindo The Golden Chords e também um grupo que liderou sob o pseudônimo Elston Gunn. Enquanto cursava a Universidade de Minnesota, em Minneapolis, ele começou a apresentar músicas country e folk em cafés locais, adotando o nome “Bob Dylan”, em homenagem ao falecido poeta galês Dylan Thomas.]

Cantor Folk

Em 1960, Dylan largou a faculdade e se mudou para Nova York, onde seu ídolo, o lendário cantor folk Woody Guthrie estava hospitalizado com uma rara doença hereditária no sistema nervoso. Dylan visitava Guthrie regularmente no hospital; ele também se tornou atração em clubes folk e cafés no Greenwich Village, conheceu vários músicos e começou a compor em ritmo assombroso, incluindo “Song to Woody”, um tributo ao seu herói. No outono de 1961, depois que uma de suas apresentações recebeu uma crítica entusiasmada no New York Times, Dylan assinou um contrato com a Columbia Records. Lançado no início de 1962, o disco de estreia trazia apenas duas canções, mas apresentou seu estilo vocal peculiar em um punhado de canções folk e blues.

O lançamento de The “Freewheelin’ Bob Dylan”, em 1963, marcou a ascensão de Dylan como uma das vozes mais originais e poéticas da história da história da música popular americana. O álbum incluía duas das mais memoráveis canções folk dos anos 1960, “Blowin’ in the Wind” (que mais tarde se tornaria um grande sucesso com o trio folk Peter, Paul e Mary) e “A Hard Rain’s A-Gonna Fall”. Seu próximo disco, “The Times They Are A-Changin’”, estabeleceu Dylan como o compositor definitivo de protesto dos anos 1960, uma reputação que se tornou ainda maior depois que ele se envolveu com um dos ícones do movimento, Joan Baez, em 1963.

Enquanto a relação de dois anos com Baez durou, a carreira de ambos se beneficiou. Dylan escreveu algumas das músicas mais conhecidas de Baez, e ela o apresentou a milhares de fãs durante seus shows. Em 1964, Dylan estava fazendo cem apresentações anuais, mas estava cansado de seu papel como “o” cantor folk de protesto. “Another Side of Bob Dylan”, gravado em 1964, trazia canções mais pessoais e introspectivas, com muito menos carga política que seus trabalhos anteriores.

Em 1965, Dylan escandalizou muitos dos seus fãs folk ao gravar o álbum “Bringing It All Back Home”, metade acústico e metade elétrico, junto a uma banda de nove integrantes. Em 25 de julho de 1965 ele foi notoriamente vaiado no Newport Music Festival, quando se apresentou com instrumentos elétricos pela primeira vez. Os discos que se seguiram, “Highway 61 Revisited” (1965) – que incluía a canção de rock seminal “Like a Rolling Stone” – e o álbum duplo “Blonde on Blonde” (1966), mostraram o lado mais inovador de Dylan. Com sua voz inconfundível e letras inesquecíveis, Dylan juntou os mundos da música e literatura como ninguém tinha feito antes.

No decorrer das próximas três décadas, Dylan continuou a se reinventar. Após um acidente de moto quase fatal em julho de 1966, Dylan ficou quase um ano isolado para se recuperar. Seus próximos dois álbuns,” John Wesley Harding” (1968) — que trazia “All Along the Watchtower,” mais tarde gravada pelo gênio da guitarra Jimi Hendrix — e o country Nashville Skyline (1969) eram muito menos agressivos que seu trabalho anterior. Críticos detonaram seu disco duplo “Self-Portrait” (1970). “Tarantula”, a aguardada coleção de escritos de Dylan, publicada em 1971, também não foi bem recebida. Em 1973, Dylan apareceu em “Pat Garrett e Billy the Kid”, um faroeste dirigido por Sam Peckinpah. Ele também escreveu a trilha sonora do filme, que se tornou um sucesso e trazia a clássica “Knockin’ on Heaven’s Door.”

Excursões e Religião

Em 1974, Dylan fez sua primeira grande excursão desde o acidente, embarcando em uma turnê nacional em casas lotadas, com sua banda de longa data, The Band. Um álbum gravado com a The Band, “Planet Waves”, foi o primeiro a alcançar o topo das paradas. Em seguida ela lançou o celebrado “Blood on The Tracks”, em 1975, e “Desire”(1976). Ambos também chegaram ao topo das paradas. “Desire” trazia “Hurricane”, que Dylan escreveu sobre o boxeador Rubin “Hurricane” Carter, que cumpria prisão perpétua após ter sido condenado por triplo homicídio em 1967, o que muitos consideravam ter sido uma sentença errônea.

Dylan foi uma das figuras proeminentes que ajudaram a popularizar o caso, levando a um novo julgamento em 1976, no qual Carter foi condenado novamente.

Após uma separação dolorosa de sua mulher, Sara Lowndes — a música “Sara”, em “Desire”, foi uma tentativa infrutífera de reconquistar Lowndes — Dylan novamente se reinventou, declarando em 1979 que se converteu ao cristianismo. O evangélico “Slow Train Coming” foi um sucesso comercial e rendeu a Dylan seu primeiro Grammy. Entretanto a turnê e álbuns seguintes tiveram menos sucesso e logo depois as inclinações religiosas de Dylan se tornaram mais discretas em suas músicas. 

bob-dylan-zw6u_o_tn

Status de estrela do rock

No começo dos anos 1980, Dylan começou a excursionar em tempo integral, às vezes junto a lendas como Tom Petty and the Heartbreakers e o Grateful Dead. Discos notáveis do período incluíam “Infidels” (1983); a retrospectiva em cinco discos “Biograp”h (1985); “Knocked Out Loaded” (1986); e “Oh Mercy” (1989), que se tornou seu álbum mais bem recebido em anos. Ele gravou dois discos com a super-banda The Traveling Wilburys, que também era composta por George Harrison, Roy Orbison, Tom Petty e Jeff Lynne. Em 1994, Dylan voltou à suas raízes folk, ganhando o Grammy na categoria Melhor Álbum de Folk Tradicional com o álbum “World Gone Wrong”.

Em 1989, quando Dylan foi introduzido no Rock & Roll Hall of Fame, Bruce Springsteen falou na cerimônia, declarando que “Bob libertou a mente do mesmo modo que Elvis libertou o corpo… Ele inventou um novo jeito que um cantor popular poderia soar, rompeu as limitações que um artista poderia atingir e mudou a face do rock and roll para sempre”. Em 1997, Dylan se tornou a primeira estrela do rock a receber o Kennedy Center Honors, considerado o prêmio máximo de excelência artística nos Estados Unidos.

Seu disco de 1997, “Time Out of Mind”, restabeleceu Dylan como um dos maiores artistas do rock, recebendo três Grammy. Ele continuou sua vigorosa turnê, incluindo uma apresentação memorável para o Papa João Paulo II, na qual tocou “Knockin’ on Heaven’s Door,” e uma turnê em 1999 com Paul Simon. Em 2000, ele gravou o single “Things Have Changed”, para a trilha sonora do filme “Garotos Incríveis”, estrelado por Michael Douglas. A canção rendeu a Dylan um Globo de Ouro e um Oscar de canção original.

Dylan então deu um tempo da música para contar a história de sua vida. O cantor lançou “Crônicas: Volume Um”, o primeiro de uma série de três livros de memórias, no outono de 2004. Dylan deu sua primeira grande entrevista em 20 anos para um documentário lançado em 2005. “No Direction Home: Bob Dylan”, foi dirigido por Martin Scorsese.

Trabalho recente

Em 2006, Dylan lançou o álbum “Modern Times”. O disco atingiu o topo das paradas um mês após o seu lançamento. Uma mistura de blues, country e folk, o disco foi aplaudido pela crítica. Não demonstrando nenhum sinal de diminuir o ritmo, Dylan continuou a excursionar na primeira década do século 21, e lançou o disco de estúdio “Together Trough Life”, em abril de 2009. Em 2010 ele lançou em sua Bootleg Series, o álbum “The Witmark Demos”, seguido de uma nova caixa intitulada “Bob Dylan: The Original Mono Recordings”. Além disso, ele expôs 40 de seus quadros na National Gallery, na Dinamarca. Em 2011 ele lançou um outro disco ao vivo, “Bob Dylan in Concert – Brandeis University 1963”, e em setembro de 2012 lançou um novo disco de estúdio, “Tempest”. No início de 2015, Dylan lançou “Shadows in The Night”, que trazia regravações de canções consagradas por Frank Sinatra.

Vida pessoal

Dylan e Lowndes, que se casaram em 1965 e se divorciaram em 1977, tiveram quatro filhos: Jesse, Anna, Samuel e Jakob. Dylan também adotou Maria, filha de um casamento anterior de Lowndes. Jakob Dylan se tornou o vocalista da banda de rock “The Wallflowers”.

Em 1966, o cineasta francês ‘François Truffaut’ (um dos maiores ícones da história do cinema no século XXI) adaptou o livro Farenheit 451, de Ray Bradbury, para o cinema. O enredo é sobre uma sociedade totalitária em que os bombeiros, em vez de combaterem incêndios, queimam livros. Um destes bombeiros começa a guardar livros e é obrigado a abandonar a mulher e fugir para a floresta. Lá, ele descobre que as letras impressas em papel são irrelevantes. O importante são as histórias.

Com o prêmio Nobel, Dylan consegue a segunda coisa que ele faz de melhor, contrariar as pessoas; a primeira, é claro, é escrever músicas.

[*Bob Dylan é o primeiro americano a ganhar o Nobel de literatura desde 1993, quando foi anunciado o nome da escritora Toni Morrison. Nos últimos anos, o nobel se distribuiu – no ano passado, a russa Svetlana Aleksiévitchi foi a escolhida, sucedendo o francês Patrick Modiano.*

Deixe-me esquecer do hoje até amanhã.

bob-dylan-2009

*Letras mais que relevantes*]

It’s Alright Ma’

É o resumo do pensamento de Dylan – crítica social aguda que extrapola frivolidades da política para atingir questões pessoais.

‘Like a Rolling Stone’

Tinha 10 páginas”, disse Dylan em 1966. “No fim, não era mais ódio, era sobre contar a alguém algo que eles não sabiam, que eles eram sortudos. Vingança.”

‘Tangled Up in Blue’

Dylan disse uma vez que essa letra demorou 10 anos para ser vivida e 2 para ser escrita.

‘Hurricane’

Uma peça de jornalismo literário com licença poética.

Fontes: History e Estadão Cultura

 

 

Zecas Rock Burger

imagemok

Há aproximadamente um ano os dois amigos: José Paulo e José Tito, conversando idealizaram montar um negócio na área gastronômica. Como o Zé Tito já trabalhou em diversos setores desta área, como administrativa e operacional em mexicano, Japonês, indiano, comida brasileira e vegetariano; resolveram investir num segmento mais à vontade: uma hamburgueria. Afinal, essa opção conta com um estilo casual e mais gostoso de trabalhar. Definido o segmento foram em busca do ponto e a casa escolhida ficou com um estilo rústico e toda a ambientação do local foi feita pela equipe, como pintura, layout e estilo.

up2

O nome foi sugestão da Marcia, esposa do Zé Tito: dois “Zés”, coloca “Zecas”. Então os sócios ficaram rebatizados de Zeca Tito e Zeca Paulo. Zeca Tito e o filho, Natan, pertencem à área gastronômica e também atuam no gerenciamento geral. José Paulo (Zeca Paulo) é da área de comunicação. Sobre o cenário do Rock and Roll, Tito diz: pessoalmente o rock não é apenas um estilo de música e sim música boa de diversos estilos, coisa que toca na alma. Segundo o Natan Tito, também conhecido como Zequinha, a comida do local é artesanal, além de ser feita com muito amor, arte e a boa elaboração, para assim chegar ao cliente com o objetivo de restaurar a energia das pessoas que ali chegam.

lancheok

Além disso, todas as artimanhas foram utilizadas para tentar atingir a atenção dos clientes. Na decoração o foco principal são os Beatles, que retratam o início do rock de boa qualidade no mundo.

beatles

Guitarras penduradas e um imponente Baixo Elétrico compõe a decoração do local, mas também podem ser usados pelos frequentadores (tem um amplificador disponível). Dois murais etilo “lamb lamb” também enfeitam a casa com retratos do rock nacional e internacional.

up7

Sobre os hambúrgueres, prata da casa, o blend utilizado foi bem estudado pelo pessoal do local e é muito interessante, pois o pão conta com fermentação natural. O lanche carro chefe da casa é o ‘Zecas Rock Burguer’ e o retorno dos clientes tem sido positivo. O bairro conta com muitas residências, comércio e faculdade. Sobre os frequentadores existe uma mistura de idades, mesmo com maior presença de jovens. O estilo artesanal é muito utilizado pela casa, que busca focar no bairro e depois aumentar a divulgação.

Zecas3

Opção para vegetarianos: o Burger Veggie traz berinjela, grão de bico e especiarias.

A playlist é super variada e assim agrada diversos gostos. Também acontecem ‘Pocket Shows’ acústicos pra dar uma variada. Atualmente as entregas são feitas apenas pelo bairro, a equipe do local é bem treinada e retrata o amor ao que faz.

Endereço: Rua Sabará, 347- São Paulo-SP.

BoxBeauty! Salon

bbsalon

O Hair Stilyst Celso Camassola tem mais de 30 anos na moda em cabelos e criou o novo conceito de ‘Espaço Compacto’.

O ‘Box Beauty Salon’ Value for Money trabalha com combos ou serviços agregados, com valores únicos para qualquer tamanho de cabelo. Hoje Celso treina profissionais que são seus parceiros dentro de seus espaços, em breve disponíveis em diversos bairros da grande São Paulo.

O conceito está explicado detalhadamente no site (http://www.boxbeauty.com.br/) e a base engloba 2,3 ou mais serviços agregados e valores únicos para qualquer tipo de cabelo, exceto com alongamentos. No site você pode se informar e fazer inscrição para receber as informações de produtos e serviços específicos.

E os agendamentos podem ser feitos pelo WhatsApp: 11-991272030.

Como hoje em dia as pessoas estão cada vez mais ligadas no mundo virtual os combos podem ser adquiridos pelo site, com horário antecipado por e-mail ou telefone e o conceito do grupo retrata uma bela alternativa para o mercado atual.

FLAIER VARIADOS sit inverno

Alguns combos oferecidos:

– cortes feminino e masculinos;

– corte + escova + reconstrução;

– desprogressivação;

– luzes + reconstrução + escova;

– relaxamento + progressiva + corte;

– designer de sobrancelhas;

– cauterização + escova;

Entre outros.

Esses são alguns exemplos, mas na página você pode encontrar diversas opções e cada uma dentro da expectativa pessoal para ficar totalmente bela e reconstruída.

Contudo, atualmente a crise econômica está afetando diversos setores e por conta da queda da frequência nos salões de beleza a Box Beauty Salon mantém parcerias.

TAGS BOX. f

Celso Camassola participa de diversos cursos para inovação e atualização no mercado, assim trabalha com uma equipe que une qualidade e inovação na execução dos serviços.

*Academia*

Sua academia conta com demonstrações para variadas empresas do segmento de cosméticos do mercado nacional e internacional.

Diversos cursos também estão disponíveis e incluem manequim, apostila, certificado e DVD com Celso Camassola.

Opções de cursos:

– cortes femininos e masculinos

– penteados

– técnicas de escova, entre outros.

COMBO CORES